sábado, 9 de dezembro de 2017

Quase avó…

neto(Foto: Reprodução)

A avó morreu. Nem conheceu o neto. Agora não dá mais. Algo a que se lamentar.

Amor de avó e neto é tão incondicional que a gente nem entende como viver uma vida abrindo mão desse carinho...

Se há algo de bom na minha vida, durante a minha história, foi ter tido a companhia e a constante presença da minha avó. Talvez por isso para mim é tão difícil aceitar o não acolhimento de um neto. Filho do filho da gente é filho duas vezes.

Mas não julguemos. Cada um sabe de si. Ou pensa que sabe. Vive na ignorância e perde as boas oportunidades que a vida lhes proporciona, como um neto, cheio de potencial para amar!

Perde quem abre mão para ser amada. Perde quem não compartilha afeto, sonhos e esperanças. Perde quem não põe a mão na outra mão pequena e não acerta o passo para um mesmo caminhar.

Avó é família. Neto é família. Não tem como se negar esses laços. Laço de sangue é para a eternidade.

E o neto foi dormir mais triste porque perdeu avó que nem conheceu...

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Noite de Miss

concurso de Miss4

Bárbara Farias é filha de Dayde, uma amigona do peito. E ontem ela brilhou na passarela do concurso Miss Espírito Santo Teen 2018, representando Vila Velha e conquistando o injusto segundo lugar.

Podem até achar que concurso de Miss está ultrapassado, um tanto fora de moda, mas a verdade é que as mocinhas ainda se encantam com o seu glomour. Afinal de contas é sempre mais uma porta aberta para tornar-se conhecida no mundo das passarelas e da moda.

Certamente as coisas estão bem diferentes de anos atrás… Desfile mais parecido com show, apenas para convidados pagantes, parentes e amigos das candidatas. E eu estava lá, justamente por causa de Bárbara que, na minha opinião, era a mais linda entre todas. Entre todas.

Já cobri, como imprensa, alguns desfiles de Miss Espírito Santo e procurei ser sempre muito profissional. mas ontem foi diferente. Na área de eventos do Shopping Vila Velha eu torci, gritei, aplaudi, tirei fotos não muito boas… Fui mais “tia” do que blogueira. Mas valeu a pena.

Bárbara é universitária, uma ótima filha, amiga, companheira e tem tudo para ser uma profissional de sucesso. Não é, sem dúvida, apenas mais um rostinho bonito. Ela é linda por dentro e por fora. Orgulho da Dayde e de todos nós.

Segundo lugar no concurso de ontem mas, para a gente que a conhece bem, ela é primeiríssima. Hors concours!

Esta é Bárbara, ainda no camarim:

A apresentação das candidatas ao título Miss Espírito Santo Teen:

Bárbara Farias já com a sua faixa de Miss. <3

concurso de Miss9

concurso de Miss11

Bárbara acompanhada da Miss ES Simpatia Teen 2018.

concurso de Miss3

E em primeiro lugar a Miss Espírito Santo Teen 2018:

concurso de Miss8

concurso de Miss10

Desculpem, mas sou mais a nossa Bárbara. “Tia coruja” assumida.

concurso de Miss6

O evento foi realizado pela TH Promoções, sob a coordenação das empresárias Ivete e Thays do Espírito Santo. Além da escolha da Miss ES Teen, também foram disputaram as categorias Miss e Mister ES Mini, Mirim e Juvenil 2018.

concurso de Miss7

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

O silêncio

pessoa amada

(Foto: Reprodução)

“Onde quer que vc esteja, seja a alma deste lugar.

Discutir não alimenta. Reclamar não resolve. Revolta não auxilia. Desespero não ilumina. Tristeza não leva a nada. Lágrima não substitui suor. Irritação intoxica. Deserção agrava. Calúnia responde sempre com o pior.

Para todos os males, só existe um medicamento de eficiência comprovada: continuar na paz, compreendendo, ajudando, aguardando o concurso sábio do Tempo, na certeza de que o que não for bom para os outros não será bom para nós...

Pessoas feridas ferem pessoas.

Pessoas curadas curam pessoas.

Pessoas amadas amam pessoas.

Pessoas transformadas transformam pessoas.

Pessoas chatas chateiam pessoas.

Pessoas amarguradas amarguram pessoas.

Pessoas santificadas santificam pessoas.

Quem eu sou interfere diretamente naqueles que estão ao meu redor.

Acorde! Cubra-se de gratidão, encha-se de Amor e recomece… O que for benção pra sua vida, Deus te entregará, e o que não for, ele te livrará!

Um dia bonito nem sempre é um dia de sol… Mas com certeza é um dia de Paz.”

(Autor desconhecido)

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Esperança já!

esperança já(BANKSY, photographer unknow)

Preciso de esperança. Chega de ano arrastado. Coisa demais. Trabalho demais. Dinheiro que não cobre as necessidades… Essa vidinha que não sai da rotina, mês após mês. E a gente não tem como quebrar a corrente. Submete-se, e sofre. Reza por dias melhores e até conquista alguns benefícios parcos.

Vida que segue. Besta. E leva a gente. E traz para o mesmo ponto, que leva outra vez. Trabalha-se demais para ganhar tão pouco! E a gente vai dormir sonhando com os números da Mega Sena. Porque a gente precisa sonhar para manter a sanidade…

Preciso mesmo de dias melhores. Esperança já! Saudades das passeatas de esquerda com palavras de ordem e punhos cerrados no ar. Faziam bem. Energizavam. Saudades do tempo que todo jovem era um sonhador idealista revolucionário. Infelizmente esse tempo passou.

Os anos estão pesando para mim. Talvez nem tanto no físico… Mas acumular experiências gera sabedoria que gera uma certa impaciência. Quase intolerância.

Torço para que chegue logo 31 de dezembro e que venha a virada do ano com aquela enxurrada de votos positivos para o Réveillon. Precisando urgente de boas energias e novas esperanças.

Será que vendem na farmácia? Porque, com certeza, são os remédios que preciso para me sentir melhor…

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Alarmada!

alarme(Foto: Tinnitus: deafening. Shutterstock)

Alarmes sonoros têm as suas funções específicas e benefícios esperados. Indiscutível. Mas precisam ser tão altos e estridentes? Sinceramente, vários alarmes tocando desembestadamente, ao mesmo tempo, me deixam tonta! O efeito é contrário. Distraio. Perco o foco.

Moro numa rua movimentada, cheia de prédios altos e modernos, com garagens embutidas, logo contam com aquele aparelhinho sonoro e luminoso para avisar a entrada e a saída dos automóveis. Um edifício ao lado do outro. Uma entrada de garagem ao lado da outra. Um aparelho piscando e tocando ao lado do outro! Desesperador.

Sei que são necessários, principalmente para os deficientes visuais e pessoas distraídas, mas os alarmes poderiam apresentarem-se em volume mais moderado. São excessivamente altos, na minha opinião. Cegos não são surdos necessariamente! Um pouco de bom senso e consideração com os vizinhos cairia muito bem.

O abuso de buzinas, sirenes e alarmes é sinônimo de poluição sonora, algo a ser combatido. Por melhores que sejam as intenções, respeitar o direito alheio sempre deve ser considerado.

Um pequeno ajuste no volume dos aparelhos seria muito bem-vindo e conciliador. Questão de melhoria na qualidade de vida de todos. E não custa nada…

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Unidos

unidos(Créditos na imagem)

A união é, no mínimo, uma decisão inteligente.

Pratiquemos.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Perdemos Denise. E Anízio. Luto.

luto(Imagem: Reprodução)

A família está de luto. Os amigos estão de luto. Conhecidos e vizinhos estão de luto. A Educação está de luto. Alunos e colegas de trabalho estão de luto. Toda a sociedade deveria estar!

Perdemos Denise. Morreu assassinada numa tentativa de assalto, ontem no final da tarde, dentro de um ônibus intermunicipal, quando voltava para casa, após um dia inteiro de trabalho.

Professora em duas escolas. Mãe de três filhos. Esposa. Mulher. Não chegou a completar cinquenta anos... Segundo depoimentos, era dedicada e compromissada em tudo que fazia. Todos perdemos. Todos.

Denise desesperou-se porque percebeu a morte eminente. Tentou fugir, mas foi inevitável. Trio certeiro... Mas ela não foi só: Anízio, pai, marido, trabalhador, pedreiro, a acompanhou. Outros passageiros, feridos, estão sendo cuidados em hospitais da região.

Num ônibus onde viajavam pessoas cansadas, ao final do expediente, outras pessoas acharam que poderiam usufruir de seus bens, os materiais. Escassos. Vazios. Insignificantes.

Porque o que levaram, de verdade, foi o que eles tinham de mais valiosos: a vida, a coragem, a saúde, a esperança.

Pobres assaltantes. Dignos de pena.

A sociedade está doente. Como eu disse, tempos difíceis


Meus sinceros sentimentos aos familiares, amigos, colegas de trabalho, alunos de Denise Fabiane Queiroz e Anízio Gomes.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Tempos difíceis

foto(Foto: Reprodução)

Vamos, aos trancos, fechando o ano. Pior é pensar que 2018 promete! Ano de eleições presidenciais, certamente período complicado na política, pelo que tudo indica… Ano de Copa do Mundo de Futebol, com a missão de resgatar um certo 7 x 1…

Queria que na virada do ano a gente ficasse igual naqueles filmes da sessão da tarde: alguns dias parados no tempo, num “limbo temporal”, só para descansar. Desestressar! Precisamos.

Viemos de dias conturbados. Gente que se acha entendida, ditando regras equivocadas. Gente manipulada por aquelas pessoas comprando brigas, instigando, perturbando a paz alheia. Gente corrupta corrompendo-se e levando o nosso dinheiro suado…

Fico pensando com os meus botões: que tempo é esse que estamos vivendo?

Um simples comentário feito e fui ofendida por alguém que nem me conhecia, apenas discordava do meu ponto de vista… Gente que agride, que se incomoda com a vida alheia… Gente estúpida. Intolerante. Intransigente.

Discordar deveria ser algo saudável para levar ao crescimento mútuo, através do exercício da reflexão. A dialética deveria ser uma prática bem-vinda. Mas algumas pessoas, na sua arrogância, baniram seu uso. Agora estabeleceu-se a lei do que “o que eu penso está sempre certo. Logo, se você não pensa como eu, está errado”. Mais uma amizade desfeita.

Realmente, eis a contradição: a época em que mais as pessoas se relacionam, através das redes sociais, mais se afastam!

Tempos difíceis.

Vamos torcer por um bom Ano Novo desde já. E torcer com força…

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Desculpas

desculpas(Imagem: Reprodução)

Parece simples, mas não é. Para alguns, então, é o maior sacrifício. Para poucos, nem tanto. O fato é que reconhecer um erro e pedir desculpas não é para todos. Só para os fortes, para os que têm o caráter bem formado.

Eu sei que é difícil, mas um sincero pedido de desculpas é capaz de reatar laços, reaproximar pessoas, desfazer mal entendidos. É extremamente necessário. Não tem como passar por cima… Mas é preciso que seja verdadeiramente desejado e feito com pureza de sentimentos.

Eu sei desculpar-me com mais facilidade do que dar o meu perdão. Traço de personalidade, talvez. Na verdade, sou capaz de passar por cima, perdoar, mas não consigo esquecer… Como se ficasse registrado, que dali eu pudesse esperar qualquer coisa... E, assim, eu fico com o pé atrás! Inevitável. Confiança, quando a gente perde, é mesmo difícil recuperar.

Fácil ou difícil, a gente tem que consertar o malfeito. Errou, reconhecer o erro, pedir desculpas e não repetir o que fez de errado. Aprender com o erro é uma atitude sábia. Todos ganham, principalmente nós mesmos.

O que está pendente incomoda e funciona como um obstáculo que precisa ser superado para o nosso crescimento pessoal. Avaliar a situação para tomada da atitude acertada é sinal de amadurecimento.

Desculpar-se não é humilhar-se. Ao contrário, é engrandecer-se como ser humano.

domingo, 12 de novembro de 2017

Já é tempo de Natal… Papai Noel chegou ao Shopping Praia da Costa!

PN3

Têm coisas que não mudam em mim, nem com o passar dos anos... A emoção de participar da chegada do Papai Noel é uma delas.

Ele pode vir ao shopping, ao supermercado da esquina, à casa do vizinho da gente, mas Papai Noel é muito mais do que um velhinho vestido com fantasia barata. Ele personifica um dos símbolos mais significativos e importantes para mim e para muita gente: o Espírito do Natal.

Como cristã, conheço o verdadeiro sentido da data, não se enganem: Cristo Salvador nascido em Belém. Mas Papai Noel também tem o seu mérito.

Diz a lenda que:

                      "o personagem foi inspirado em São Nicolau, arcebispo de Mira na Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo inteiro". (pt.wikipedia.org)

Eu acredito sinceramente que no Natal há espaço para todos - até para quem não acredita, não tem fé! O Espírito Natalino é alegre, bondoso, fraterno e enche o nosso coração com esses bons sentimentos. E eles contagiam. Papai Noel personifica tudo isso. Como não se emocionar com sua chegada!?

Eu ousaria dizer que o período natalino é como um oásis nessa correria louca que é a vida da gente. Tempo de olhar para o outro, de estender a mão, de praticar uma ação concreta de solidariedade... Tempo de amar.

Pois Papai Noel chegou hoje por aqui, no Shopping Praia da Costa, em Vila Velha, e eu fiquei bem pertinho dele. Acenei com a mão e fiz força para não chorar. Com ele, desfilaram muitas doces lembranças da minha infância acompanhadas, de perto, pela saudade...

Êta tempo bom!

É muito cedo para lhe desejar Feliz Natal?

PN4

PN5

PN6

PN1

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Acidentes de percurso


A gente tem mesmo que aproveitar a vida... De repente vai que acontece alguma coisa que muda tudo daí pra frente... Para morrer basta estar vivo. 

Segunda-feira levei um escorregão subindo uma escada. Na tentativa de não deixar cair o que levava nas mãos, acabei batendo a ponta do dedo médio, com bastante força, no degrau. Resultado: derrubei tudo pelo chão e quebrei o tendão da articulação da pontinha do dedo. C I R U R G I A.

O especialista já me advertiu que, apesar da cirurgia, o dedo não ficará como antes... Isso deixa a gente chateada. Tudo bem que é a ponta do dedo médio, mas ela também faz muita falta. Este dedo também tem lá suas utilidades!

O que quero dizer é que em segundos tudo mudou. Eu estava bem por completo. No momento seguinte, tornei-me uma deficiente física em potencial. E ainda agradecendo a Deus porque dos males o menor, afinal eu poderia ter morrido! Escadas são um perigo!

Estou bastante chateada, confesso. Eu estava trabalhando. Exatamente cumprindo o que manda a minha função. Mas se pudesse voltar no tempo, naqueles preciosos minutos, com certeza teria feito diferente. Corpo mole, talvez. Afinal foi bem perto do fim do expediente...

Mas não choremos o leite derramado. Bola pra frente. Que venha a cirurgia. Que fique a lição de não desperdiçarmos nosso tempo com bobagens, caraminholas, mesquinharias... A vida é um sopro.

E que a gente suba e desça as escadas segurando pelo corrimão. De preferência, sem carregar nada que ocupe nossas mãos... 

Porque alguns acidentes podem ser evitados.

                                                                                                          (Imagem: Reprodução)
Quem dera...

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Estresse urbano

                                                                                                  (Créditos na imagem)
Fala a verdade, não é assim mesmo que acontece?

Estresse urbano... Coisa da modernidade.

E a qualidade de vida fica tão fragilizada!

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Nossos direitos

                                                                                                          (Imagem: Reprodução)
A gente tem direito de ser feliz e um monte de outros direitos que nem sabe que tem, mas que fazem parte da nossa dignidade, da nossa humanidade.

Temos o direito fundamental à vida, mas muitos sucumbem pelas mãos de seus semelhantes, por motivos banais.

Temos direito à liberdade, mas muitos se deixam dominar por motivos econômicos, sociais, hegemônicos.

Temos direito à moradia digna, mas muitos não tem teto, nem lar. 

Temos direito a um tratamento igualitário, mas questões étnicas-raciais, sócio-religiosas, históricas e políticas, ainda, reproduzem preconceitos e conceitos equivocados gerando desigualdades.

E essa história que o direito da gente acaba quando começa o dos outros é balela! Porque nossos direitos não acabam nunca! O que precisamos é aprender a respeitarmos os direitos dos outros concomitantemente ao que usufruirmos os nossos. 

Direito e respeito são bons e todo mundo gosta. Porém pena que nem todos podem se beneficiar deles...

Vamos à luta! Por nenhum direito a menos!

                                             (Imagem: Sistema Nacional de Direitos Humanos) 

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Natureza imperfeita

                                                                                                        (Imagem: Reprodução)
A natureza não é perfeita. Está errada essa coisa que tem que morrer no final...

Não vou nunca me conformar com esse processo pelo qual todo ser vivo tem que, necessariamente, passar desde o seu nascimento até chegar no seu término obrigatório: morte. Está errado. Deveríamos viver para sempre!

Não me perguntem como caberia tanta gente habitando no planeta, nem como haveria comida e água para todos, emprego, habitação... Esqueçam estas perguntas práticas. Não quero ter que pensar sobre elas. Preferia acreditar que a gente daria um jeito. Meu foco seria apenas ter quem amamos do nosso lado. Para sempre! 

Perder os pais, filhos, avós, entes queridos, amigos queridos é dor que destrói o coração da gente! Corrói a alma. 

Ver inocentes partirem vítimas de balas perdidas (ou achadas), de assassinos violentos, psicopatas, brigas de trânsito, acidentes, ou simplesmente por estarem doentes... Sou contra todas as formas de morte. Para mim, nenhuma é justa. Muito menos, desejada.

Queria vida eterna para todos, aqui mesmo, nesse planeta. Não nos faltaria tempo para arrumar as coisas. Daria certo. 

Êta, Natureza imperfeita! Fico por aqui com o peito cheio de saudades...

Luiz Carlos, Dora, Manoel, Stelitta, Melchiades, Gilda, Sérgio, Conchita, Maria Emília, Milton, Wilson, Laura, Adélia, Adelaide, Luiz Antônio, Rute, Roberto, Vânia, Ubirajara...
                                                                         (Créditos na imagem)

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Mais uma conversa sobre o amor

                                                                                                              (Foto: Mari Medeiros)
Quem falou que amar seria fácil? Certamente não fui eu. Um relacionamento, por mais afinado que seja, também tem lá os seus percalços. Somos imperfeitos, logo...

A gente se apaixona e passa a viver dias encantadores. É pego rindo sozinho. Lembra de detalhes insignificantes como se fossem lembranças históricas. Tudo passa a ter grande valor se tiver relação com o ser amado. São os primeiros momentos da paixão. Maravilhosos!

Não vemos os defeitos. Ou se vemos, por serem gritantes, acreditamos que podemos mudá-los. Por amor! Com o nosso amor! Pelo nosso amor! E a gente encara e passa por cima. Aceita. Acolhe. E ama mais e mais... Submete-se.

Se o sentimento é correspondido, então, é o céu. O paraíso na terra! Tudo fica mais colorido, alegre, vibrante. Como o amor é poderoso! Capaz de transformar, inspirar, significar a vida.

Mas o tempo passa. As coisas mudam, inclusive a forma de amar. O sentimento enraíza-se ou esvai-se... 

Os defeitos não se corrigiram, continuam e passam a incomodar mais... E a submissão começa a sufocar! Surgem atritos, conflitos, desânimo. Aquelas cores desbotam. E as lembranças viram saudade. É hora de partir.

Este não é o destino de todo amor, apenas daqueles que não são cuidados. Portanto, ligue o alerta! Avalie-se! O que você tem feito para preservar o seu relacionamento e mantê-lo forte e saudável?

Gostosos beijos na boca e um bom sexo não são suficientes para um relacionamento durável e fascinante. É preciso dedicação numa conquista diária do mesmo ser amado. Um bom relacionamento é fruto de uma construção onde os dois fazem por onde.

E vale a pena.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Feitiço de Halloween

                                                       (Imagem: Reprodução)

Ando necessitando dessa magia... Mas quem não?

Atualmente, por aqui no Brasil, só fazendo mágica mesmo!

domingo, 29 de outubro de 2017

Confesso

                                                                          (Imagem: E por falar em amor/Facebook)

Quem nunca?...

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Amizades verdadeiras


Amizade para mim tem que ser pau pra toda obra. Tem que pegar junto. Se comprometer. 

Nem precisa estar sempre por perto, mas, num primeiro chamado, tem que comparecer, dizer para que veio, pois um amigo não espera para ver o que acontece. É testemunha ocular. Participante.

Amigos não arranjam desculpas. Arranjam soluções. Dão jeito para aquelas coisas que a gente não conseguiria sozinho. É parceria. 

Amigos estão, participam, compartilham, fazem acontecer. Mas também orientam, dizem não, brigam com a gente, quando é preciso. 

Amizades não são mar de rosas... Há possibilidade de vendavais e tempestades. Turbulência. Porque amizades são vivas! Deve haver respeito, mas também confronto. Para salvar um amigo, muitas vezes, é preciso primeiro nocauteá-lo! Algumas verdades necessitam ser ditas... Melhor que seja por um amigo que nos quer bem.

Um amigo ri junto. Chora junto. Xinga. Debocha. Tem cumplicidade no olhar. Sabe o que estamos pensando... Têm casos para relembrar e sentir saudades... 

Um amigo divide com a gente. Duplica com a gente. É um pouco da gente. E ele é um pouco de nós. Parceria perfeita. Comunhão de afinidade e fidelidade.

Pois é assim que eu entendo amizades. Com poucas palavras e gestos concretos. Bem simples.


(Helen Valladão, minha amiga, este post é pra você. Em retribuição ao seu grande gesto.)


quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Pausa para respirar

                                                                                                     (Imagem: Temporada Livre)
É o maior corre-corre a vida da gente. Quase não se tem tempo para o básico: comer direito, beber água e ir ao banheiro. O corpo reclama. Adoece. Mas a gente nem tem tempo para parar e se cuidar. Trabalha doente mesmo. Ou estuda.  Ou trabalha e estuda. Comigo é assim. E provavelmente com você. 

Não sei quem inventou essa história (injusta) de ter cinco dias úteis e dois no final de semana. Que desproporção! E ainda tem gente que condena quem comemora o feriado... Pois eu comemoro. Todos. Viver é muito mais do que ter obrigações. Viver é ter tempo para si mesmo.

O tempo não para. A vida urge que nos organizemos. Tempo para trabalhar, estudar, ficar doente, se cuidar. E, ainda, comer direito, beber água, ir ao banheiro, sorrir, chorar, desejar, sonhar, realizar. Tempo que a gente faz! Conquista.

Trabalhar é bom. Produzir faz bem. Estudar é necessário. Enquanto cuidamos da mente, adquirimos as melhores ferramentas para a vida em sociedade. Entretanto, o brincar, o passatempo, o lazer, o repouso, sair da rotina são fundamentais para o restabelecimento do nosso bem estar. Já está comprovado.

Ame-se. Cuide-se. Invista-se. Permita-se. Porque mais ninguém terá tanta consideração assim com você mesmo. E pode comemorar feriado sem pudor, porque é permitido. Afinal, ninguém é de ferro.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Sobre as eleições muito disputadas


Quando o grupo está dividido algo urgente precisa ser feito. Não dá para tampar o sol com a peneira, fingindo que está tudo bem.

Uns comemoram. Outros amargam a decepção. O confronto é velado. Talvez nem tanto. Mas a verdade é que depois de um processo eleitoral disputado, seja qual for o resultado, o grupo se divide e ao vencedor cabe a primeira tarefa que é integrar a equipe novamente.

Vencer pode dar dor de cabeça.  Perder pode ser um alívio. Dependendo do grupo em que a eleição tenha se dado, problemas de ordem pessoal podem ser enormes e aflitivos. Merecem atenção.

Ao vencedor, responsável pela nova administração, cabe a ponderação. É preciso evitar provocações. Até a euforia da vitória deve ser comedida. Lembrar-se que vai precisar daquelas pessoas que estão do outro lado, no futuro próximo. E do seu trabalho. E da sua lealdade. 

Vencer é, realmente, para os fortes. Para os preparados. Muitos dizem que é preciso saber perder, mas eu insisto que, principalmente, é preciso saber vencer. Ter postura de vencedor, sem ser arrogante. Ser humilde na vitória não é fácil, mas é importante.

Um grupo dividido produz menos. Cai a empatia com a função e o trabalho produzido diminui em qualidade. Todos perdem, principalmente seu líder que demonstra inaptidão para a função. E, na maioria das vezes, estava mesmo despreparado.

Democracia tem dessas coisas. Precisamos praticá-la, vivenciá-la para aprender com os próprios erros. Sempre será melhor do que qualquer ditadura. Porém, em ambientes escolares, como em eleições para o cargo de direção, merece mais cuidados no seu transcurso.

Crianças pequenas são facilmente seduzidas por imagens de super-heróis e outros apelos infantilizados. A reflexão sobre o que é melhor para a escola, o currículo dos candidatos, o que cada um tem para oferecer pode ser facilmente deixado para um segundo plano... E como o voto é universal, são os alunos quem decidem quem será seu novo diretor. Portanto, todo o cuidado é pouco. O candidato mais popular tem infinitamente mais chances nesse processo. Lastimável.

O fato é que, apesar de todos os pesares, quem venceu tem que administrar com sabedoria e apoio de todos. Precisa articular bem suas estratégias, priorizando a valorização de cada pessoa do grupo. Precisa buscá-las. Conquistá-las. Como? Provando que é capaz. Indo até elas.

Vitória acabou de eleger os novos diretores e diretoras de suas escolas e centros de Educação Infantil. Vila Velha está com o processo em andamento. Desejo a todos os vencedores, sucesso e discernimento. A qualidade da educação do nosso país começa com o bom trabalho de cada uma dessas instituições de ensino. E, sem dúvida, neste processo, o papel do gestor é fundamental.

E, aos que perderam ou que perderão, um conforto: possivelmente vocês não eram ou serão os piores candidatos... Coisas da democracia.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Museu Itinerante Antigo Egito à Pompeia

                                                                                                         (Imagem: Divulgação)
Shopping Mestre Álvaro, Serra, recebe de 14 de outubro a 10 de dezembro, o Museu Itinerante Antigo Egito à Pompeia, que consiste em uma exposição de peças arqueológicas, entre 161 originais e 147 réplicas, pertencentes aos períodos distintos do Antigo Egito e da Terra Santa, e de Pompeia, um dos sítios arqueológicos mais completos e impressionantes de toda a história humana. 

Como se trata de uma exposição histórica, acontecem visitas guiadas e escolas podem agendar horário, com direito a uma palestra sobre o Antigo Egito e um documentário exclusivo sobre Pompeia. A exposição ficará aberta de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 12h às 21h. O ingresso custa R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada).

O objetivo de Maisur Musa Produções Culturais, produtora do evento, é “estimular o exercício da busca pelo conhecimento”, por isso o ingresso é nominal dando o direito ao visitante de retornar à mostra várias vezes para apreciar, pesquisar e entender cada vez mais sobre essas riquezas.

Antigo Egito - Entre as peças originais, que estão na seção Antigo Egito, há um deus cananeu de aproximadamente 2000 a.C., candeias desde 2000 a.C. até 700 d.C., vasos, moedas, etc. Entre as réplicas, há três do Faraó Tutancâmon como a Máscara Mortuária, um manequim que servia para provas de roupas e joias e o Ka dele (seu representante virtual após a morte) de aproximadamente 1323 a.C., famoso porque em sua tumba lacrada foi encontrado o maior tesouro reunido do Egito Antigo.

Pompeia – A seção Pompeia mostra um pouco da cultura, do cotidiano e da tragédia que envolveu milhares de pessoas que perderam suas vidas abruptamente pela fúria do Vesúvio, numa tarde do ano de 79 d.C.. Reunindo 91 peças originais, que datam de 200 a.C. a 300 d.C., e 87 peças entre réplicas e fac-símiles, a exposição visa à recriar ambientes cenográficos e levar o visitante a descobrir como era o cotidiano da elite e da população de Pompeia e Herculano.

A erupção do vulcão Vesúvio devastou Pompeia e cidades próximas, criando uma espécie de cápsula do tempo onde casas, pessoas e todos os seus pertences ficaram sepultados sob cinzas, lama e terra por séculos, até que em 1748 iniciaram as primeiras escavações arqueológicas. Os arqueólogos descobriram milhões de artefatos e itens que revelam todos os detalhes da vida do povo romano na época do desastre. Devido às circunstâncias, suas vidas foram imobilizadas pelo tempo de forma excepcional e, hoje, soma-se mais de 1.150 corpos de pessoas e grande número de animais também foram descobertos.

                                                                                                                    (Imagem: Divulgação)

Para você registrar na sua agenda e não perder essa oportunidade:
  • Exposição: “Museu Itinerante Antigo Egito à Pompeia”;
  • Local: Shopping Mestre Álvaro;
  • Data: 14 de outubro a 10 de dezembro;
  • Horários: segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 12h às 21h;
  • Disponibilidade a partir das 8 horas para grupos agendados;
  • Ingressos no local: R$30,00 e R$15,00 (meia-entrada para menores de 21 anos, estudantes, professores, idosos e PNE). Ingresso permanente e intransferível, dando direito ao visitante retornar quantos dias quiser sem pagar novamente. Valor promocional para estudantes em grupos agendados
  • Palestras aos sábados e domingos, às 19h, para o público geral e para grupos de estudantes é necessário agendar.
  • Informações e agendamento para grupos de estudantes: misteriosdoantigoegito@hotmail.com
  • Por whatsapp:  (22) 99101-1949.

domingo, 22 de outubro de 2017

Por onde anda minha inspiração?

                                                                                                       (Foto: Reprodução)
Ando em busca de inspiração. Ela anda escassa por aqui. Vida besta. Tudo muito sem graça...

A gente vai perdendo o encanto com as lambadas que recebe por aí a fora. Vai embrutecendo-se e deixando de impressionar-se com pouco. De tanta porrada, nem sente mais. Ou sente tanto, que já nem percebe pela constância...

Do amor que sente, recebe quase nada. Da confiança depositada, recebe traição. Da amizade, frieza. Da esperança, nada mais. Até que deixa de querer. De sentir. De desejar...

A gente corta o cabelo, troca de chaveiro, jura que vai emagrecer... Compra sapato novo, esboça sorriso no canto da boca, pinta mais os olhos... Busca alguma atitude. Tenta. Capricha... Em vão. O que mudou lá por dentro não muda mais. Perdeu a graça. É quando a gente percebe que somos a melhor companhia para nós mesmos e não se sente mais só. 

Decepções em série cansam. Ser deixada de lado cansa. Gente falsa por perto cansa. Trabalho árduo sem reconhecimento, cansa. Dinheiro que não dura um mês, cansa muito. Ignorância e grosseria em geral, cansa demais! 

Sou daquelas que sabe a hora de vir, mas também sabe a hora de ir. E já está bem perto...

É urgente que a inspiração volte para mim.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Desencanto

Porque hoje estou assim: desencantada da vida...


                                                                                                               (Imagem: Reprodução)

"Eu faço versos como quem chora
De desalento... de desencanto...
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.

Meu verso é sangue. Volúpia ardente...
Tristeza esparsa... remorso vão...
Dói-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.


E nestes versos de angústica rouca,
Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre sabor na boca.

- Eu faço versos como quem morre."

(Poema de Manuel Bandeira, da obra "Antologia Poética", da editora Nova Fronteira)

domingo, 15 de outubro de 2017

Sou professor

Nas belas e comprometidas palavras de Paulo Freire*, homenageio todos os meus colegas professores, pelo seu dia.

                                                                                     (Foto: Carlos Antolini)
"Não posso ser professor se não percebo cada vez melhor que, por não poder ser neutra, minha prática exige de mim uma definição. Uma tomada de posição. Decisão. Ruptura. Exige de mim que escolha entre isto e aquilo.
Não posso ser professor a favor de quem quer que seja e a favor de não importa o quê. 
Não posso ser professor a favor simplesmente do homem ou da humanidade, frase de uma vaguidade demasiado contrastante com a concretude da prática educativa. 
Sou professor a favor da decência contra o despudor, a favor da liberdade contra o autoritarismo, da autoridade contra a licenciosidade, da democracia contra a ditadura de direita ou de esquerda. 
Sou professor a favor da luta constante contra qualquer forma de discriminação, contra a dominação econômica dos indivíduos ou das classes sociais. 
Sou professor contra a ordem capitalista vigente que inventou esta aberração: a miséria na fartura. 
Sou professor a favor da esperança que me anima apesar de tudo. 
Sou professor contra o desengano que me consome e imobiliza. 
Sou professor a favor da boniteza de minha própria prática, boniteza que dela some se não cuido do saber que devo ensinar, se não brigo por este saber, se não luto pelas condições materiais necessárias sem as quais meu corpo, descuidado, corre o risco de se amofinar e de já não ser o testemunho que deve ser de lutador pertinaz, que cansa mas não desiste. Boniteza que se esvai de minha prática se, cheio de mim mesmo, arrogante e desdenhoso dos alunos, não canso de me admirar.”
                                                                                             (Foto: Carlos Antolini)
(*Paulo Freire em Pedagogia da Autonomia, São Paulo, Paz e Terra, 2011).

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Dia Mundial do Escritor

                                                                                                       (Imagem: Reprodução)
Eu era pequena e já gostava de escrever. Ouvia e lia muitas histórias. Criava os cenários na cabeça. Dava forma aos personagens. Imaginava. Sonhava. Inventava. Desde cedo, aprendi a sentir prazer nessa aventura.

O lápis foi substituído pela caneta. Depois, pela máquina de escrever. Agora, pelo computador. Mas as palavras, as ideias e a inspiração acompanharam-me através dos tempos. Só avolumaram-se.

O vocabulário cresceu, mas não ficou pedante. As ideias ganharam fundamento nos estudos e nas experiências. E a inspiração continuou a vir da própria vida... Ganhou, talvez, mais cor, mais graça, mais sentimento. Talvez algum endurecimento...

Escrever é articular palavras, é construir, no papel ou na tela, sentidos de pensamentos. Traços que viram textos. Textos que nos dizem nas linhas e entrelinhas. Escrever é um desafio bom.

Cada um escreve de um jeito. Tem seu próprio estilo, sua forma, seu contexto. Eu não faço poesias, embora as aprecie. Mas gosto de rimas, de ritmo, de sonoridade. Então aproveito os recursos nos meus textos. Gosto do resultado.

Tenho dificuldade em escrever sobre encomenda. Faça isso. Tantas linhas. Fale sobre aquilo. Tantas laudas. Aliás, colocar qualquer escritor na gaveta é abominável! Pois é assim que sinto-me quando sou pressionada. Faço o solicitado buscando a qualidade, mas sinto-me profundamente insatisfeita. O escritor deve ser o senhor absoluto da sua ação de escrever!

Escrever é arte. Escrever é ofício. Escrever é lazer. É divã. É um jeito de dizer da vida. É um jeito de ensinar. E aprender. Escrever é o que amo fazer.

Hoje é o Dia Mundial do Escritor. E, para todos eles, o meu carinho e o meu reconhecimento. Com o seu trabalho, encantaram o mundo e o tornaram melhor para se viver! Sem dúvida.

(Post dedicado a Orígenes Lessa e Monteiro Lobato, grandes influenciadores meus.)

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Dia daquelas que só querem brincar...


Eu brinquei do que eu quis. Adorava um brinquedo! Bonequinhas de papel, panelinhas, jogo da memória, patinete, bichinhos de pelúcia. Eu era uma brincalhona!

Nem conhecia o conceito de reaproveitamento, mas já o praticava, inventando brinquedos com tampinhas de creme dental, de refrigerantes, caixinhas vazias, trecos em geral. Naquela época, a indústria de brinquedos não era muito diversificada, o que nos estimulava a criar alguns.

Ninguém se preocupava se eu estava brincando com brinquedos específicos para meninas ou para meninos, porque essa preocupação é invenção da modernidade. Criança, naquela época, podia brincar do que quisesse. E eu, como tinha muitos primos e primas, brincava com tudo, de tudo.

Bang-bang, comidinha, polícia e ladrão, casinha, pique-bandeira, pular corda, amarelinha... Meus primos eram os pais e nós, as primas, as mães dos nossos bonecos. E a gente inventava muitos enredos para as brincadeiras! Meninos pegavam nas bonecas e ninguém se assustava com isso. Muito menos nós.

Tive muita sorte em ter sido criança na época em que se podia ser apenas criança, com total liberdade para brincar e sonhar. Apesar da tristeza de ter perdido meu pai aos sete anos, a infância continuou regada de fantasia e permissões. 

Contemplo a infância de hoje, que ainda traz a mesma vontade ingênua de outrora: de brincar, experimentar, ser feliz. Criança que brinca com caixa vazia, com toquinho de lápis, com resto de comida no prato... E em suas mãos colocam jogos eletrônicos e outros aparelhos tecnológicos. E em sua cabeça criam necessidades de consumo desenfreado. E as fantasiam de "adultos", gerando pensamentos e necessidades fora de hora! 

O que estão fazendo com nossas crianças???
  
E, como hipócritas, questionam se meninas podem brincar de carrinhos e meninos de bonecas! Quanta hipocrisia! Criança é criança. Brincando, experimenta a vida. Brinca do que quiser. Afinal, meninas, um dia, terão seus carros... E meninos segurarão seus filhos no colo... Tudo faz parte da vida. De ambos. 

As verdadeiras e justificadas preocupações dos pais devem ser outras. Se estão protegidos. Se estão tendo acesso à educação e à saúde. Se tem amigos. Se estão vivenciando uma infância sadia. Se são felizes. Se terão direito a um futuro de qualidade. No mais, é conversa fiada de quem não entende nada de criança e deve ter tido uma infância bem ruim... O que eu lamento muito.

No Dia das Crianças, brinque com seus filhos. Seja parceiro e presente em suas vidas. Participe. Esteja aberto ao diálogo. Isso sim fará muito mais diferença do que o uso de qualquer brinquedo. A boa referência é fundamental na educação de uma criança. Especialmente a dos pais.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Com quem você pode contar?

                                                                                    (Foto: Amanda Andrade /@Loora_Andrade)

Na sua relação conturbada com o mundo, com quem realmente você pode contar? Mães, na maioria das vezes, e irmãos. Amigos, também. Vizinhos, muitas vezes. Desconhecidos, dependendo da situação, também fazem a diferença.

Não vivemos sós. Não estamos sós. O mundo machuca, precisamos gritar e sermos ouvidos. Um ombro amigo sempre ajuda. Um colo. Uma mão estendida. Somos tão humanamente falíveis...

O choro explode pela garganta. Jorram-se lágrimas. Desespero. Destempero. Perde-se o passo. Descompasso. É preciso parceria para ajeitar as coisas. Até aquelas lá de dentro... Do peito.

E a gente, para não se perder, pede ajuda. Vai em busca de quem sabemos com quem podemos contar. E essas pessoas, geralmente, não falham. Nossos portos seguros. Estão sempre lá, firmes. Prontas para, num abraço, aconchegar e firmar-nos o passo, de novo, no rumo certo.

Conto com poucas pessoas, mas são certas. E muitos podem contar comigo. Não viemos nesse mundo à passeio. Viemos servir. Ainda bem. Porque precisamos. A união fraterna e solidária é condição básica da nossa existência.

Deixemos rusgas e desavenças banais para os menos inteligentes. Gente esperta sabe que o frio sempre nos baterá a porta e, em algumas vezes, nossos cobertores não bastarão... O melhor calor é o que vem do abraço! Calor humano.

Quem sabe não é chegada a hora de praticar o perdão e aproximar-se de quem está distante? 

                                                                                                                                               (Imagem: Reprodução)

sábado, 7 de outubro de 2017

Se há amor...

                                                                                                               (Imagem: Reprodução)

Porque gosto de pessoas assim... Daquelas que fazem bem só de estarem perto da gente. 

Ando carente de proximidades...

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Oração de São Francisco de Assis

(Imagem: Reprodução)

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

(Foto: Cecília Marafelli)


domingo, 1 de outubro de 2017

Outubro é sempre rosa!

Mulheres, cuidem-se.

O laço rosa é para lembrar que a luta continua contra um inimigo silencioso e muito perigoso: o câncer de mama. 

Descoberta no início, a doença apresenta alto índice de cura. Portanto é preciso que estejamos sempre alertas.

DoceDeni apoia essa causa.

sábado, 30 de setembro de 2017

A vida e sua lógica

                                                                                                           (Créditos na imagem)
Por isso mesmo não desista.

Porque depois de um dia ruim, sempre virá um dia melhor. E nos encontrará bem mais fortalecidos...

Pode acreditar.